Ciclista contemplando a paisagem. Foto de Dó Castle, Pexels.

Bicicleta para Trilha – Conheça as Top 5 de 2022

Quando desejamos comprar um novo produto, seja ele qual for, é comum realizarmos diversas pesquisas e perceber, no final, que muitas das coisas sendo ditas não são tão fáceis de entender. Se você está procurando uma bicicleta para trilha, mas não conhece muito sobre os modelos e o que você deve procurar nos produtos, não se preocupe, pois você veio ao lugar certo.

Ao longo deste artigo, te explicaremos exatamente o que uma bicicleta para trilha precisa para ser considerada boa, além de apresentar uma seleção com os melhores modelos do mercado atualmente.

Não importa se você deseja apenas passear por uma trilha, em contato com a natureza, ou praticar mountain bike de forma mais intensa, você encontrará modelos que darão conta das suas necessidades.

Além dos modelos, falaremos sobre as peças que tornam a bicicleta para trilhas apta ou não apta a atender sua demanda. Comentando desde o material do quadro, até o tipo e a qualidade do sistema de transmissão e de freios.

Portanto, leia até o final para entender melhor sobre o assunto, e escolher a melhor dentre as opções que existem!

O que é necessário ter em uma bicicleta para trilha?

Antes de começarmos a falar sobre alguns dos melhores modelos de bicicleta para trilha, explicaremos um pouco sobre o que torna uma bicicleta apta para trilhas.

Começaremos, então, falando sobre o material do quadro e das outras peças, assim como as tecnologias, tipos de freio, etc.

Bicicleta para trilha. Foto de Philipp M., Pexels.

Material

Existem diversos materiais que são utilizados para a criação dos quadros das bicicletas, além dos outros componentes da mesma. Porém, quando falamos de material, estamos pensando muito mais no quadro, do que nos outros componentes.

Quadro Rocky Mountain Hammer Hardtail Mountain Bike. Foto: Keithonearth - Wikimedia Commons

Isso porquê as outras peças são, normalmente, feitas por fabricantes a parte e possuem um padrão. Além disso, uma peça que seja de alumínio nem sempre vai ser pior do que uma feita em fibra de carbono.

Portanto, vamos aos materiais mais comuns dos quadros:

Alumínio

O material mais comum para a fabricação dos quadros, o alumínio possui pouco peso e oferece a resistência necessária para diversas atividades. Além disso, o alumínio possui um ótimo custo benefício, pois o seu preço é baixo, e o material consegue oferecer a leveza e resistência necessárias.

Seja uma bicicleta para trilha, ou uma para o passeio e uso urbano, o alumínio com certeza dará conta do recado. Apesar disso, lembre-se que, se deseja mais durabilidade e garantir um ótimo desempenho, existem outras opções que podem ser mais caras mas que vão garantir um funcionamento ainda melhor para atletas de alta performance.

Aço cromo-molibdênio

Outro material muito utilizado em quadros de bicicletas é o aço cromo-molibdênio, também conhecido por Cr-Mo, sigla que vem escrita em quadros fabricados com cromo-molibdênio.

Ao contrário do alumínio, o aço já possui um peso um pouco maior, especialmente em modelos de entrada. Além disso, também possui um preço mais elevado, pois o metal requer máquinas específicas para ser trabalhado.

Apesar de ter sido muito usado antigamente, hoje em dia o seu uso está mais concentrado em bicicletas urbanas, bikes para cicloturismo, ou para quem deseja viajar com a bicicleta. Portanto, o aço cromo-molibdênio não é o melhor material para uma bicicleta para trilha, além de possuir valores elevados.

Fibra de carbono

Um dos materiais mais aclamados, a fibra de carbono migrou da fórmula um para o ciclismo e foi muito mais do que bem aceito: ele é um dos materiais mais nobres para a construção de quadros. Garantindo a leveza e ainda mais resistência do que o alumínio, ele é um dos materiais mais desejados para atletas que procuram o melhor desempenho.

Porém, isso tem um custo, que é, de fato, o preço do produto. A produção dos quadros com esse material é mais cara do que os de alumínio, que são os mais utilizados, de maneira geral. Portanto, esse é, definitivamente, um produto de alta performance.

Titânio

Um material que não é tão conhecido por ciclistas iniciantes é o titânio. Esse é um metal nobre, com muita resistência e leveza; porém, o seu custo é ainda mais alto do que o cromo ou a fibra de carbono.

Esse é um material muito utilizado para bicicletas de alto nível de performance, especialmente pessoas que desejam um material resistente e com estrutura, que vá durar um bom tempo. Apesar da sua resistência, o material consegue manter a leveza necessária e tão desejada.

Rodas

Agora, falaremos um pouco sobre a roda, de maneira geral. Isso é, englobaremos aqui o aro e os pneus. Sem delongas, vamos ao que interessa:

Parte traseira da bicicleta, mostrando o pneu e o aro. Créditos: Pexels, Haydan As-soendawy

Aro

Se você está já está procurando pela sua bicicleta para trilha, já sabe que existem dois tamanhos de aro mais comuns disponíveis para a compra: o aro 26″ e o aro 29″. Esses dois são os mais utilizados em todo o ciclismo, e cada um deles possui uma vantagem sobre outro.

Porém, quando falamos sobre bicicletas para trilha, estamos procurando por um produto que vá nos facilitar a atravessar diversos obstáculos, como pedras, buracos, raízes, etc. Além disso, também é interessante que cada pedalada nossa seja bem aproveitada, facilitando subir trilhas e ladeiras.

Com isso em mente, podemos afirmar que o melhor aro para a prática de mountain bike, ou para passear em trilhas, é o aro 29″. Isso pois ele proporciona mais contato com o solo, o que faz com que cada pedalada seja melhor aproveitada, além de facilitar a passagem por obstáculos.

Pneus

Apesar de ser uma informação um pouco deixada de lado por iniciantes, os pneus da sua bicicleta também são muito importantes para o seu desempenho. Afinal, existem diversos tipos de pneus, com diferentes tecnologias e diversos tamanhos.

Pneu de bicicleta para trilha. Foto de Lum3n, Pexels.

Porém, como existem tantas variações, não podemos dizer que um é melhor do que outro: cada um serve a sua função. Existem pneus sem câmaras de ar, mais ou menos flexíveis, resistentes, etc.

Portanto, é importante realizar uma pesquisa a parte só para os pneus, pois existem diversas variáveis que irão afetar o desempenho de sua bike.

Sistema de transmissão

Uma das partes mais importantes na sua bicicleta para trilha são as peças que compõem o seu sistema de transmissão. Isso é: o pedivela, os câmbios traseiro e dianteiro, correntes, etc.

Em outros artigos aqui do nosso site falamos sobre os sistemas de transmissão mais conhecidos da Shimano e da SRAM. Lá você pode encontrar mais informações sobre as peças e seus usos mais indicados.

Freios

Já nos freios, podemos ser simples e diretos: o melhor freio para mountain bike, isso é, o mais eficiente, é o freio a disco. Dentre esses dois freios, você pode escolher dentre o freio a disco hidráulico ou o freio a disco mecânico.

Apesar de requerer maior cuidado e conhecimento sobre como trocar pastilhas e o disco, por exemplo, o freio a disco hidráulico ou mecânico oferece maior estabilidade e segurança do que o v-brake, modelo mais popular. A maior diferença entre eles é que o freio a disco funciona sem problemas quando molhado, enquanto o v-brake não responde bem nessas situações.

Portanto, em uma atividade como o mountain bike, o freio a disco definitivamente pode ser a melhor opção. Agora, qual dos dois, disco mecânico ou hidráulico?

Freio a disco mecânico

O freio a disco mecânico vai funcionar, como dito acima, mesmo em situações com chuva ou em que ele se molhe, pelo motivo que for. Porém, ele funciona com uma eficiência média, o que pode não ser tão atrativo.

Pinça de freio a disco mecânico da Shimano. Imagem retirada do site oficial da Shimano.

Porém, mesmo com eficiência média, ele ainda garante o bom funcionamento dos freios. Um exemplo disso é a diferença dele para um v-brake, por exemplo, quando se trata do freio traseiro. Enquanto o v-brake traseiro tende apenas a diminuir a velocidade da bicicleta, o freio a disco traseiro pode parar o seu movimento por completo.

Freio a disco hidráulico

Já o disco hidráulico, ainda possuindo as vantagens de funcionar na chuva e ter uma tração maior, possui uma eficiência melhor do que o mecânico. Isso acontece pois ele é ativado com fluidos, o que faz com que a força que o ciclista utiliza no ativador do freio seja multiplicada, melhorando a eficiência do freio.

Freio a disco hidráulico da Shimano. Imagem retirada do site oficial da Shimano.

Portanto, se você procura pela melhor opção em termos de qualidade e desempenho, esse é o freio mais indicado. Porém, isso também influencia, é claro, no preço do produto, que tende a ser ainda mais caro.

Melhores modelos de bicicleta para trilha

Agora que você já conhece um pouco sobre os componentes e os materiais que compõem a bicicleta para trilha, e onde e como cada um deles influencia, traremos alguns dos melhores modelos de bicicleta para trilha.

Lembre-se de, se necessário, voltar para ler sobre o que cada uma das especificações significa! Apesar de explicarmos boa parte desses modelos agora, sempre é interessante ter o máximo de informações o possível antes de realizar a sua escolha.

Sem mais delongas, vamos agora à lista com alguns dos melhores modelos de bicicleta para trilha disponível para compra.

Caloi Vulcan

Uma das marcas mais conhecidas de bicicleta é a Caloi, e é claro que ela possui diversas opções de compra para quem deseja uma boa bicicleta para trilha. A Vulcan é a bicicleta de linha de entrada da Caloi para mountain bike.

Caloi Vulcan. Imagem retirada do site da Caloi.

Ela conta com quadro de alumínio, aro 29, 21 marchas e freio a disco mecânico. Possuindo um ótimo custo benefício, o Caloi Vulcan é um ótimo modelo para quem deseja começar a praticar o mountain bike, ou simplesmente passear por trilhas.

Vale ressaltar que o seu câmbio traseiro é um Shimano Tourney, o que garante um bom sistema de transmissão. Além disso, a bike possui suspensão dianteira, suporta usuários de até 100kg e possui apenas duas opções para o tamanho do quadro: 15 e 17.

Caloi Velox

Um outro modelo que vale trazer aqui é o Caloi Velox. Ainda um modelo de entrada, com o preço um pouco mais baixo do que o Caloi Vulcan, sendo uma boa opção para quem precisa ou deseja economizar um pouco mais.

Caloi Velox. Imagem retirada do site da Caloi.

Apesar do seu preço um pouco mais baixo, esse modelo não vai te deixar na mão! Além do seu aro 29, os pneus da Caloi Velox são mais grossos que os de costume, o que torna a pedalada mais tranquila e fácil em trilhas com obstáculos como pedras, raízes e buracos.

Possuindo 21 marchas e quadro feito em aço, é uma bicicleta para trilha versátil, mas que pode possuir um peso um pouco maior, pelo seu material. O modelo ainda conta com suspensão dianteira e os seus freios são o v-brake, o que mantém seu custo um pouco mais baixo.

GTSM1 Absolute

Uma das marcas que também traz ótimas opções de bicicleta para trilha é a GTSM1. Trazemos hoje o seu modelo com aro 29, 27 marchas e que suporta usuários de até 120kg: a GTSM1 Absolute.

Bicicleta GTSM1 Absolute Aro 29. Imagem retirada do site da GTSM1.

Garantindo a leveza e o custo benefício para o comprador, o seu quadro é feito em alumínio. E, garantindo também a segurança e estabilidade do ciclista, o modelo conta com freios a disco hidráulico, que também possui a vantagem de não precisar de tantos reparos quanto o mecânico, por exemplo.

Apesar de não possuir um sistema Shimano ou SRAM, ele continua sendo uma das melhores opções para quem deseja encarar uma trilha em sua bike. O câmbio utilizado na construção dessa bike é de produção própria da GTSM1, sua linha MX9, com 9 velocidades.

Sutton New

A primeira bicicleta para trilha que trazemos aqui é a Sutton New, que possui câmbios Shimano. Ela possui um aro de 29, 21 marchas, e tamanho de quadro variando entre 15, 17, 19 e 21. Feita principalmente de alumínio, possui um ótimo custo benefício e leveza.

Bicicleta Sutton New. Imagem retirada do site da Sutton New.

O seu câmbio traseiro é o Shimano Tourney TZ que, apesar de ser uma peça de um grupo de entrada da marca, possui tecnologias únicas da Shimano. Os seus freios são a disco hidráulico, o que garante um bom funcionamento do mesmo. Seus pneus aro 29 são de cravos, o que garante melhor tração e estabilidade em terrenos difíceis, trazendo maior segurança ao ciclista.

GTSM1 New Expert 2.0

Outro modelo da marca GTSM1 que vale ser citado aqui é o New Expert 2.0. Sendo mais um modelo com aro 29, o New Expert 2.0 possui 27 marchas e o seu quadro é feito totalmente em alumínio, garantindo leveza e durabilidade.

Bicicleta GTS M1 New Expert 2.0. Imagem retirada do site da GTSM1.

Seus câmbios são feitos pela própria GTSM1 e prometem durabilidade e qualidade de sobra. Possuem 9 velocidades e sua pedivela é, também, em alumínio. Além disso, o o modelo também conta com suspensão dianteira de 100mm, e freios a disco hidráulico.

Se você procura uma bike para atravessar alguma trilha leve, ou percorrer uma longa distância, essa é uma das melhores opções, possuindo um equipamento de qualidade, sem um preço excessivo. É um ótimo custo benefício!

A compra da melhor bicicleta para trilha

Agora que você já conhece um pouco sobre os componentes e materiais que são usados para criar as bicicletas para trilhas, e já viu quais são os modelos campeões em vendas, especialmente para quem está começando, você já pode começar a escolher quais serão suas compras.

Ciclista fazendo trilha e apreciando a paisagem. Foto de Pixabay, Pexels.

Não se esqueça que cada um tem a sua “melhor bicicleta para trilha”! Isso é, nem sempre a que vai ser melhor para um, vai ser a melhor para o outro. Por exemplo, não existe motivos para gastar em uma bicicleta para Downhill, quando você deseja apenas uma bicicleta para trilha.

Ela pode até cumprir com o seu papel, mas se o seu objetivo não é praticar o downhill, você não precisa gastar o triplo do que gastaria em uma simples bicicleta para trilha. Além disso, se você procura passar por terrenos mais difíceis, com mais obstáculos e possibilidade de encontrar com água, você não vai querer uma bicicleta para trilha com freios v-brake, mas sim uma com freio a disco hidráulico ou mecânico.

Ciclistas apreciando a paisagem no meio da trilha. Foto de Gabriel Porras, Unsplash.

Portanto, leve em consideração o seu objetivo e tenha em mente o que precisa e o que não precisa em sua bicicleta, procurando pelas características que mais te interessam. Além disso, não esqueça de realizar uma boa busca para encontrar a melhor opção de preços e frete!

Esperamos que tenha tido uma boa leitura e que tenhamos sanado suas dúvidas! Lembre-se de se atentar aos detalhes e características das bicicletas que procurar. Nem todas possuem estrutura ou condições de aguentar alguns terrenos mais acidentados. Ponha sua segurança em primeiro lugar, caso deseje praticar algum esporte mais radical!