Bike com peças da Tourney. Foto de Harvey Tan Villarino

Shimano Tourney é bom? Conheça tudo sobre a linha

Se você está começando no mundo do ciclismo e procura pela melhor bicicleta para você, ou está procurando um upgrade para a sua bike atual, é importante tomar um tempo para estudar as suas possibilidades.

Provavelmente, em sua busca, você têm encontrado diversos componentes, de diferentes marcas. As mais prováveis são a SRAM e a Shimano.

Nós sabemos o quanto pode ser confuso entender a hierarquia desses grupos, quais servem para qual modalidade, e qual será o melhor para nós.

Portanto, vamos falar hoje sobre o grupo Tourney, da Shimano, afim de explicar melhor as suas tecnologias, comentar o seu material de fabricação, e muito mais.

Esperamos, no final, responder se o modelo é bom para você ou se deveria focar em outra linha na hierarquia Shimano.

Grupos Shimano para mountain bike

Podemos classificar essa linha como uma linha de entrada para os praticantes de MTB. Ela se faz ideal para quem deseja melhorar o desempenho de sua bike em trilhas suaves e estradas acidentadas.

Bicicleta com adesivo Shimano. Foto de Harvey Tan Villarino.

Porém, por ser um grupo do mais baixo nível dentro da hierarquia Shimano, é importante ressaltar que ela pode não aguentar, ou ter um baixo rendimento, em trilhas mais difíceis, ou com saltos, etc.

Nesses casos, onde o objetivo é realizar uma prática mais intensa, existem outros grupos como o Shimano Altus, Shimano Deore, Shimano Alivio ou a profissional Shimano XTR, que podem atender melhor a sua necessidade.

Prática de MTB em terreno difícil. Foto de Danny Bor.

Enquanto os grupos Shimano Alivio e Acera possuem modelos intermediários, o Tourney é voltado para iniciantes no MTB casual.

Grupo Shimano Tourney

Para começar a falar sobre essas linhas, falaremos sobre os componentes do grupo Tourney. Dessa forma, você poderá entender melhor as suas funcionalidades, vantagens e desvantagens sobre outras dentro da hierarquia Shimano, e como elas afetam no seu desempenho.

Mountain Bike em trilha fácil. Foto de Pixabay.

Lembrando que essa é uma linha de entrada para a prática de MTB casual. Perfeita para o ciclista que deseja passear com tranquilidade, em terrenos fáceis, o grupo Shimano é muito conhecido pela sua durabilidade.

Devemos também ressaltar que, paralelos a esse grupo, existem outros grupos que carregam o seu nome. Esses são: Tourney TX e Tourney TZ. Todas essas são muito utilizadas em bicicletas híbridas e de passeio, possuindo de 6 a 8 velocidades.

Agora, falaremos sobre as peças do grupo Shimano em questão. Comentaremos sobre os câmbios, cassete, freios e as outras peças da linha. O grupo, porém, não possui pedal próprio, sendo possível utilizar o pedal de outros modelos.

câmbio dianteiro

O câmbio do grupo Shimano Tourney possui diferentes modelos para o ciclista escolher. Contando com mais de 10 possibilidades para o câmbio dianteiro e mais de 15 para o câmbio traseiro, quem escolhe esse grupo, também escolhe a versatilidade.

O câmbio dianteiro do grupo possui a tecnologia Top Swing, que auxilia com a troca de marcha, tornando-a mais leve e rápida.

Câmbio dianteiro Shimano Top Swing TY600. Imagem retirada do site da Shimano.

Câmbio traseiro

Os diferentes modelos de câmbio traseiro podem suportar o uso da pedivela com uma a três coroas. As tecnologias empregadas na fabricação desses modelos irá variar conforme o câmbio traseiro que escolher.

Essas podem ser: SIS, Hyperglide e Double Servo. Todas essas tecnologias afetam a qualidade da troca de marchas, facilitando o controle da bike pelo condutor.

Além disso, esse grupo já conta com a tecnologia Shadow RD, que diminui o tamanho do componente.

Câmbio traseiro Shimano TY500 de 6/7 velocidades. Imagem retirada do site da Shimano.

Com essa tecnologia, o seu grupo de transmissão pode durar mais tempo ainda, pois o seu tamanho reduzido diminui o risco de impactos.

O lado negativo do câmbio traseiro desse grupo Shimano é o seu peso, que se dá pelo uso de materiais como o aço e plásticos mais pesados.

Pedivela e coroas

A pedivela do grupo Shimano em questão pode vir em 3 modelos diferentes. Todos eles, porém, são compatíveis com peças de 3×8, 3×7 ou 3×6 velocidades. Ou seja, todas possuem 3 coroas.

Pedivela Shimano TY701, em preto. Imagem retirada do site da Shimano.

A diferença principal entre esses modelos é o tamanho do fator Q, que varia entre 181,5mm e 185,5mm. Além disso, as peças podem vir em preto ou prateado, e possuem os tamanhos 165mm, 170mm e 175mm.

Contando com as tecnologias dual SIS e Hyperglide, a pedivela deste grupo proporciona melhores trocas de marchas, com mais suavidade e precisão.

Por ser uma pedivela com 3 coroas, pode ser vista como antiga e não recomendada. Até porquê, hoje em dia, existem pedivelas com apenas 1 ou 2 coroas.

Cassetes

Já para as engrenagens traseiras do sistema de transmissão desse grupo Shimano, o consumidor poderá escolher o cassete que preferir para completar o seu conjunto. Podendo vir em cassetes ou roda livre, existem diversos modelos para o ciclista escolher o que melhor lhe atende.

Modelo roda livre, Shimano TZ500. Imagem retirada do site da Shimano.

As rodas livres disponíveis nesse grupo também abrangem os grupos Tourney TX e Tourney TZ, o que aumenta as opções de produtos para os seus clientes.

O cassete e a roda livre do grupo possuem tecnologia Hyperglide, que ajuda com a troca de marcha. Nem o cassete e nem a roda livre, porém, possuem opções de 8 velocidades, apenas de 6 e 7.

Cassete Shimano HG200, 7 velocidades. Imagem retirada do site da Shimano.

trocadores

O trocador de marcha desse grupo Shimano, assim como o cassete e as rodas livres, pode ter diversas variações. Afinal, são diversas velocidades possíveis que o modelo pode ter, o que faz ser necessária uma grande gama de trocadores.

Trocador Shimano TX30, com tecnologia thumbshifter, 6 velocidades. Imagem retirada do site da Shimano.

Além disso, existem diversos tipos, como os “thumbshifters”, onde o ciclista realiza a troca com o dedão, e os Revoshifts, que são controlados com o punho.

Trocador Shimano RV200, com tecnologia Revoshift, 6 velocidades. Imagem retirada do site da Shimano.

Freios

Os freios desse grupo Shimano podem não ser os melhores para práticas mais arriscadas e terrenos mais difíceis, porém farão um bom trabalho em terrenos mais fáceis e passeios longos.

Os manípulos de freios do grupo possuem as tecnologias EZ Fire Plus, SIS, Reach Adjust e Optical Gear Display.

Manípulo de freio com trocador de marcha 7 velocidades. Imagem retirada do site da Shimano.

Outros grupos de MTB

Se o seu objetivo for praticar o MTB com mais firmeza, utilizando bikes mais robustas e que possuem um preparo melhor para um cross country mais pesado, por exemplo, você pode procurar por outros produtos da marca. Para isso, você pode conferir outras linhas dentro da hierarquia da empresa.

Prática de MTB mais radical, com saltos e obstáculos. Foto de Pixabay.

Dentre esses podemos citar o Shimano Altus e o Alivio, por exemplo.

Esses possuem tecnologias mais avançadas em relação ao grupo tratado anteriormente, assim como seus materiais são mais leves e resistentes.

Dessa forma, o seu desempenho pode melhorar para a prática de mountain bike em estradas de terra mais acidentadas e com mais obstáculos.

Altus

Esse grupo já foi abordado em outro artigo em nossa página! Porém, é válido dizer que em relação ao Tourney, ele está acima na hierarquia e já entra em uma categoria melhor.

Leia o artigo: Shimano Altus é bom?

Câmbio traseiro M2000. Imagem retirada do site da Shimano.

Esse grupo já conta com 9 velocidades, 2 a mais do que o analisado neste artigo.

Acera

O Acera, além de também contar com o Shadow RD, possui até 9 velocidades, e é feito de um material mais leve e mais durável.

Câmbio traseiro M3000, com 9 velocidades. Imagem retirada do site da Shimano.

Esse grupo Shimano é muito indicado para praticantes que desejam maior eficiência e segurança durante a sua prática. Porém, pode afastar alguns por ser um pouco mais caro em relação aos grupos de entrada.

Alivio

Acima na hierarquia, este ainda conta com 9 velocidades, e tecnologias parecidas entre si. Os cassetes da Altus podem ser utilizados com esse grupo também.

Pinhão Cassete HG400, 9 velocidades, prateado.

Essa é uma linha mais voltada para o aventureiro, que deseja realizar trilhas mais difíceis e com mais obstáculos.

Seu material é robusto e resistente, mas sem perder a leveza necessária para trazer o conforto ao ciclista.

XTR

O Shimano XTR é o mais top de linha da empresa. Sendo recomendado para o uso profissional, possui as melhores tecnologias e materiais de construção que a empresa possui.

Cassete XTR M9100, 12 velocidades. Imagem retirada do site da Shimano.

Contando com 12 velocidades, a sua pedivela possui diversos tamanhos, e todas possuem a tecnologia Hollowtech II.

Outras peças e tecnologias

Existem produtos com tecnologia exclusiva, como é o caso dos modelos para bicicletas de estrada, que podem ter compatibilidade com algumas das outras peças apresentadas anteriormente.

Uma dessas tecnologias é a Hollowtech II, aplicada no pedivela de diferentes modelos da marca, que não são, porém, produtos próprios para MTB.

A tecnologia Hollowtech II promete melhorar a potência de cada pedalada, fazendo com que a sua experiência seja mais suave e não demande tanto esforço.

Pedivela da linha Dura-Ace, com Hollowtech II. Imagem retirada do site da Shimano.

Dessa forma, vale a pena estudar melhor a marca para que você possa criar o seu próprio conjunto de transmissão com uma peça de cada linha, se assim desejar. Dessa forma, sua bike será única e totalmente feita para você!

Afinal, o grupo Shimano Tourney é bom?

Ainda que o grupo Tourney seja o mais baixo dentro da hierarquia da Shimano, se o seu objetivo for passear com tranquilidade ou começar a prática de mountain bike, ele poderá atender a sua necessidade.

Ciclistas praticando MTB em trilha leve. Foto de Darcy Lawrey.

Com peças dos grupos TX e TZ, esse grupo também conta com a versatilidade e a variedade de escolhas das quais o ciclista pode fazer.

Lembre-se que essa linha é para bikes na categoria de iniciante na prática do esporte, ou para quem deseja apenas passear por lugares com estradas mais difíceis.

Portanto, se o que procura é uma bike preparada para todo tipo de terreno, isso é, uma BTT (Bike Todo Terreno), é melhor optar por outros modelos, como os citados acima: Acera, Altus, etc.

Saiba mais neste artigo sobre todos os grupos da Shimano.

Prática de MTB com saltos. Foto de Anastasia Shuraeva.

Esperamos que esse conteúdo tenha sido de grande ajuda para que você escolha o seu grupo da Shimano da melhor forma possível! Se gostou desse conteúdo, não deixe de checar outros artigos na nossa página!