Competição de ciclismo. Crédito: Unsplash

Ciclista profissional – Como se tornar um e tudo que você precisa saber

Se você sonha em ser um ciclista profissional, saiba que o ciclismo é uma das atividades físicas de maior exigência atlética por parte do competidor. Seja como for, é um esporte democrático e que pode ser iniciado por qualquer pessoa. Basta ter dedicação e treinar com afinco.

Neste artigo, detalhamos questões fundamentais sobre esse universo cheio de competições que envolve o ciclismo. Conheça todos o tipos de termos utilizado no ciclismo profissional, nas corridas e nas competições, para chegar preparado para encarar todos os desafios.

Equipe profissional de ciclismo treinando. Crédito: James Thomas - Unsplash

A bicicleta se tornou um meio de locomoção muito comum e vem ganhando mais relevância no cenário nacional, principalmente nos meios urbanos. Assim, começou a criar uma legião de ciclistas que vem migrando do uso recreacional para uma pegada mais competitiva.

Mas para ser um ciclista profissional não é preciso somente ter uma boa bike. É preciso ter uma boa rotina de treinos, alimentação equilibrada e preparo físico constante, pois saiba que as competições são verdadeiros desafios físicos e mentais.

Por isso, se você está pensando em transformar do seu hobby uma profissão e ter uma carreira como ciclista profissional, confira esses conselhos que preparamos no presente artigo.

O que precisa para ser um ciclista profissional?

Para começar, você precisa definir qual será a sua modalidade de ciclismo que irá se especializar.

Nada impede que você comece a competir nas estradas, de Speed, e depois resolva ir para o MTB ou até mesmo o Downhill. Seja como for, é preciso ter foco em uma das modalidades, para que o direcionamento dos treinos seja mais efetivo.

A partir daí, saiba que será necessário tempo e dedicação. O ciclista profissional tem no esporte a sua profissão, então considere uma atividade diária de pelo menos 2 a 4 horas de treinos e pedaladas, progredindo com o passar do tempo.

Competição de ciclismo. Crédito: Unsplash

Para o sucesso destes profissionais, ter um bom equipamento, aprender técnicas de competição e conseguir patrocinadores pode fazer toda a diferença.

Saiba que as bicicletas serão o seu instrumento de trabalho. Portanto, ter uma bike de alto desempenho é fundamental e imprescindível.

No quesito alimentação, destaca-se a necessidade de manter uma dieta em conformidade com seu organismo e rotina de treinos, sempre lembrando de repor líquidos constantemente. A suplementação pode ser uma aliada da performance e receitada por profissionais.

Seja como for, esteja pronto para enfrentar diversas corridas ao longo do ano.

No mundo afora existem diversas equipes profissionais, e ingressar numa dessas equipes é um passo muito relevante na carreira. Geralmente, essas equipes mantém os ciclistas mais ativos, possuem expertise na rotina de treinamentos e dominam técnicas de competição.

Qual a potência média de um ciclista profissional?

O ciclista profissional é um atleta de alto rendimento. A mesma comparação do grau de treinamento de um jogador de futebol para o “peladeiro” de final de semana vale para o ciclismo. Como todos os esportes, o ciclismo é uma modalidade que requer alto preparo.

Competição de ciclismo. Crédito: Unsplash

Os treinos são intensos e variados, explora-se os fundamentos do ciclismo mais a fundo e treina-se especificidades, como explosão, velocidade, subida, e assim sucessivamente, conforme a maior ou menor necessidade do ciclista ou preparação para uma etapa específica.

Uma forma de conseguir medir o rendimento é através da potência gerada nas pedaladas, com a conversão da força aplicada e a cadência, as quais são convertidas em watts.

Estima-se que, enquanto os ciclistas amadores geram em média de 100 a 300 watts, um profissional pode gerar 400 watts, podendo chegar até próximo de 700 watts dependendo da situação.

Qual o salário de um ciclista profissional?

Agora que você já tem ideia de algumas peculiaridades do mundo profissional do ciclismo, deve estar se perguntando se o salário compensa ou não. Ainda que o salário não seja equiparado ao de um jogador de futebol, a média costuma ser razoavelmente boa, principalmente para ciclistas que estão em equipe.

Para ter mais estabilidade e valores fixos com o ciclismo, o ideal é entrar para uma equipe e conseguir ter bons resultados. Estima-se que os ciclistas profissionais iniciantes recebam aproximadamente 1 salário mínimo, enquanto os mais experientes possam alcançar a casa de R$20.000,00.

Dessa forma, é razoavelmente possível viver do ciclismo, seja qual for a modalidade praticada.

Obviamente que tudo dependerá da estrutura da equipe, do grau de experiência dos atletas e dos resultados que entrega.

Competição de ciclismo. Crédito: Unsplash

Não pode se desconsiderar a tentativa de conseguir uma vaga no estrangeiro, como equipes da Europa, onde poderá disputar o Tour de France ou o Giro d’Itália, ou partir para campeonatos de cross country, por exemplo.

O ciclismo oferece uma ampla gama de oportunidades e as competições são largamente difundidas. Uma colocação em uma boa equipe certamente auxiliará em tudo que for necessário para praticar o ciclismo profissional.

As técnicas de pedalada, cuidados com a bicicleta, organização geral, atenção com a especificidade da prova, treinador próprio, qualidade de equipamentos são elementos do ciclismo profissional de alto nível e que geralmente são disponibilizadas pelas melhores equipes.

Há de se pontuar que no ciclismo de estrada recebem salários mais elevados que a média dos demais atletas do ramo, sendo que os mais tops do mundo podem receber cifras milionárias.

O ciclismo pode pagar muito bem, é verdade, mas demanda bastante dedicação até o topo.

Além disso, ir bem em competições e até mesmo vencer grandes giros proporciona grandes boladas de dinheiro, tanto para o ciclista quanto para a equipe.

Como é a rotina do ciclista profissional

Certamente não é uma profissão monótona, muito antes pelo contrário, trata-se de um esporte de alto rendimento em que a adrenalina e o desafio estão presentes diariamente. Independentemente da modalidade praticada, será necessário bastante afinco para manter uma rotina ideal de treinamentos.

O ciclista profissional precisa desenvolver treinamento diário. Haja chuva ou haja sol, frio ou calor, o atleta deverá estar sempre treinando em cima da bicicleta.

Se você é praticante de mountain bike ou mountain bike maratona, é preferível estar perto de lugares com natureza, para simular provas de maneira mais fidedigna e de acordo com as adversidades encontradas.

Ciclista treinando. Crédito: Unsplash

Quando não estiver na bike, o reforço muscular entra como exercício auxiliar e fortalecedor da musculatura, muito importante para o desenvolvimento do corpo do atleta. Não raras vezes é preciso ajuda de profissionais da coluna e massagistas, para relaxar a musculatura e auxiliar no desempenho.

Além do mais, o ciclismo profissional requer hábitos alimentares saudáveis, acompanhamento médico e constante atenção à saúde cardíaca e pulmonar, diante do esforço, resistência e explosão necessárias. O uso de suplementos pode ser indicado, a depender das necessidades do organismo e desde que não seja contrário às regras do ciclismo profissional.

Geralmente, qualquer preparação para uma competição, corridas ou provas demanda meses e meses de treinamento até o grande dia. Competidores de grandes voltas, como o Tour de France podem ficar até mesmo anos treinando para a etapa, de modo a chegarem cada vez mais preparados e com possibilidades de vitórias.

Os equipamentos precisam ser constantemente verificados, ajustados e a bicicleta precisa estar em perfeitas condições. Para quem não tem equipe, o auxílio de um treinador ajudará a elevar o nível e chegar ao ciclismo profissional.

Todavia, saiba que com muito empenho você pode colocar seu nome ao lado da seleta lista de ciclistas multicampeões, como Jens Voigt, Henrique Avancini, Jonas Vingegaard, Chris Froome, entre outros, ou até mesmo participar dos jogos olímpicos.

Como praticar de forma mais efetiva

Se você já começou a trilhar esse caminho, participa de algumas competições, está em devida forma física e as vezes não sabe como pode evoluir, dá uma olhada nessas dicas que preparamos com o presente artigo.

O condicionamento física e a saúde mental do ciclista profissional

Pense em incluir algumas visitas a médicos do esporte ou especialistas em condicionamento físico de alta performance. Talvez alguns ajustes podem fazer a diferença na sua performance.

Manter um plano de alimentação mais equilibrada e adequada ao seu corpo, com o auxílio de nutricionistas esportivos, pode ser fundamental.

Competição de ciclismo. Crédito: Unsplash

Às vezes, pequenas mudanças de hábitos podem mudar tudo em relação ao desempenho e a forma com que você se sai nas competições.

Realizar outros tipos de exercícios, como academia ou treino funcional podem ser úteis para reforçar braços, tórax, coluna e pernas, muito demandadas durante o pedal. Essas atividades são passos importantes entre ser um ciclista amador e um profissional.

Gerando, registrando e comparando dados do treino 

A tecnologia é uma grande auxiliar, seja no desenvolvimento das bicicletas, seja na disponibilização de conteúdo e gadgets para acompanhar a evolução do treino.

Um bom exemplo disso são os medidores de potência. Quem pretende aprimorar seu treino, saiba que estes dispositivos são capazes de medir a energia ou o trabalho desenvolvido pelos atletas em cima das bicicletas.

Os medidores de potência funcionam através de pequenos extensômetros que medem a mínima deformação de peças como o pedivela, cubo ou pedal. Desta forma, eles são capazes de traduzirem esse valor em torque e multiplicam pela velocidade, resultando na leitura de potência em watts.

Ciclista medindo elevação. Crédito: Unsplash

Há também a possibilidade de medição por meio de monitores de frequência cardíaca, tendo um acompanhamento mais detalhado do seu organismo e capacidade pulmonar. Estes dispositivos são essenciais para medir performance.

Existem ainda, e já estão bastante difundidos, alguns aplicativos para celular, que permitem diversos tipos de medição. Alguns exemplos são:

  • Strava: Monitora o treino e mede dados como velocidade, distância e ritmo do pedal. Ele faz uma comparação entre o seu desempenho com treinos anteriores, útil para avaliar a sua evolução naquele trajeto.Ele tem um funcionamento parecido das redes sociais, na medida em que todas as informações geradas podem ser compartilhadas com seus amigos, além de receber informações de eventos e acompanhar todos os passos dos demais usuários.
  • Treinamento de ciclismo: Não é um aplicativo de medição ou mensuração de performance, todavia, é uma ótima opção para variar o seu treino. Com este aplicativo você receberá dicas para manutenção da bike, rotinas de treinamento e vídeo-aulas com conteúdo sobre ciclismo.
  • Zeopoxa Ciclismo: Este aplicativo também serve para registrar as suas pedaladas. Possui uma vasta gama de recursos, medindo desde a distância de corridas, exibe dados detalhados sobre cada exercício e, ainda, cria desafios.