Freio a disco, produto da marca Shimano - Créditos: Wikimedia Commons

Tipos de Freio de Bicicleta – Conheça os 5 principais

Talvez o sistema de freio seja um dos principais itens dentre todo o conjunto de uma bicicleta, seja ela mountain bike, ciclismo de estrada, downhill ou cross. Ainda que não seja uma das principais preocupações das pessoas quando estão pensando em uma bicicleta, essa parte em especial pode ser decisivo na segurança da pedalada.

Por essa razão, neste artigo você encontrará tudo que precisa saber sobre os esse acessório para sua bicicleta e entender todos os tipos, diferentes funcionamentos e modelos existentes no mercado.

Bicileta antiga. Créditos: Unsplash

Estima-se que as primeiras bicicletas existentes sequer possuíam essa tecnologia. Ou seja, a frenagem era na sola do calçado mesmo. Acontece que os calçados não eram baratos, logo, se tornou primordial o desenvolvimento de algum dispositivo que pudesse controlar a velocidade e parar a bicicleta, surgindo então os freios de bicicleta.

Manetes de Freio. Créditos: Unsplash

A partir de então, os freios se tornaram um componente indispensável para todos os ciclistas, havendo muita evolução tecnológica ao redor do seu funcionamento, bem como o desenvolvimento dessa peça se tornou cada vez mais importante.

A importância dos freios

Os freios são essenciais não apenas para parar a bicicleta, mas também para prevenir acidentes no trânsito, trazendo maior segurança para todos. Seja o deslocamento nos centros urbanos ou nas trilhas e estradões afora, sem um sistema de freio adequado seria quase impossível para os ciclistas pedalarem com desempenho e de forma segura.

Manetes de Freio. Créditos: Unsplash

Ademais, para além da parada e da segurança, freios eficazes garantem maior desempenho para os ciclistas, seja durante os treinamentos ou competições, na medida em que frações de segundos podem ser decisivos para o sucesso da performance. Logo, se o freio não responde rapidamente aos comandos, pode afetar o rendimento do pedal.

São diversos os modelos de sistema de freio disponível no mercado atualmente, variando inclusive conforme a preferência de cada ciclista e adaptação a determinados sistemas em decorrência de outros. Tudo dependerá, como você verá, da sua necessidade e gosto para escolher entre os diversos modelos.

Manetes de Freio. Créditos: Unsplash

Principais sistemas de freios de bicicleta 

Quando se trata de sistema de freio, primeiramente é importante conhecer a qualidade dos materiais e o seu desempenho, pois, a depender da forma do seu acionamento e funcionamento, podem trazer diferenças gigantescas.

Cicilsita. Créditos: Unsplash

Por isso, esse conteúdo a respeito dos tipos de freios é de suma relevância, e diferenciar cada modelo é fundamental para saber o que melhor se adaptará para suas necessidades e da sua bike.

Ademais, esse assunto é permeado por palavras próprias, como manete, cabos, disco, pastilhas e por assim em diante, havendo diversas marcas no mercado.

Cantilevers

Esses freios já foram bastante utilizados nas bicicletas do passado e tinham a vantagem de bloquear o acúmulo de sujeira e lama das trilhas do Mountain Bike. O sistema consiste em dois cabos independentes, um de cada lado da roda, conectados por meio de um cabo transversal, responsável pelo funcionamento da frenagem. 

Freio a e aro de bicicleta. Créditos: Unsplash

Os freios cantilever é um sistema mecânico, e, portanto, se o cabo central apresentar qualquer tipo de defeito, os outros cabos tendem a se abrir e a frenagem não funcionará.

Esse sistema de frenagem já não é mais usado nas bikes modernas, sendo encontrado em bicicletas antigas ou de colecionadores. 

Ferradura

Esse sistema de frenagem é parecido com o anterior. É conhecido também como “u invertido”, em razão do formato das alavancas, sendo mais recomendado para bicicletas de speed e road. 

É um sistema de freio mecânico. No entanto, são leves, compactos e de fácil regulagem. Usa pastilhas de freios que, quando acionados, encostam na lateral do aro e efetuam a frenagem.

Freio ferradura. Créditos: Site Unsplash

Se você morar em regiões muito úmidas ou chuvosas talvez essa não seja uma boa opção, pois tendem a perder atrito em tais condições e, portanto, comprometem a aderência e eficácia de uso, prejudicando a frenagem. Bicicletas de competição, principalmente do ciclismo de estrada, tem usado com maior frequência estes componentes.

V-brake

O sistema V-Brake é o substituto do cantilever, tratando-se de um sistema mais simples de acionamento, que elimina o cabo central. Também é um sistema mecânico, seu acionamento se dando através de cabos de aço.  

O V-Brake se tornou muito popular entre as bicicletas de passeios e modelos de entrada de mountain bike.

O freio v-brake é barato, apresenta boa durabilidade, além de ser muito resistente. Seu nome se dá em razão de que a maneira com que os cabos sãos ligados formam, na frente da bike, um “V”.

A roda e o freio ferradura de uma bicicleta. Créditos: Unsplash

Esse sistema usa pastilhas de freio que se encostam na parede lateral do aro e efetuam a frenagem, sendo ideal para quem está começando no ciclismo. Este modelo de freio é bastante seguro, de fácil manutenção e é um passo anterior do freio a disco.

A depender do quadro da sua bike, o cabo do freio v-brake ou poderá ficar exposto ou passar por dentro dos canos, mantendo um visual mais clean.

Freio a disco mecânico

Os freios a disco mecânico ganharam boa parte do mercado nos últimos anos e são a novidade no quesito frenagem no ciclismo, já sendo comum vermos bikes de entrada equipadas com este sistema, especialmente as MTB.

Freio a Disco. Créditos: Unsplash

Esse sistema garante maior qualidade de frenagem em estradas molhadas ou com muita lama, sendo mais eficazes do que o sistema de pastilhas de freio neste ambiente, na medida em que o aro pode ficar comprometido e causar problemas na frenagem .

Presente na maioria das bikes intermediárias, o freio a disco mecânico tem uma manutenção mais fácil em relação ao sistema hidráulico, pois é caracterizado por um calibrador que tem a função de comprimir o pistão.

Freio a Disco. Créditos: Unsplash

O seu funcionamento é muito superior, no entanto, do que os v-brakes ou ferradura, além de ter um acionamento mais preciso.

Freio a disco hidráulico

O freio a disco hidráulico é o que há de mais moderno e capaz de entregar mais performance para os ciclistas atualmente quando o quesito é sistemas de freio.

Esse tipo de freio é acionado por meio de pressão de óleo, que bombeia os pistões e fazem com que as pastilhas de freio se grudem ao disco.

Freio a disco de uma mountain bike. Créditos: Unsplash

O manete hidráulico é certamente mais eficaz nas respostas, pois funciona com uma bomba hidráulica, a qual depende, todavia, de um reservatório especial para o fluido de freio. A diferença para quem usa é muito facilmente perceptível, pois o freio ganha uma certa leveza.

Tanto o quadro quanto a roda precisam ser específicas para este tipo de freio. Neste tipo de freio, há necessidade de instalação completa do conjunto, que é composto pela pinça, mangueira e o manete de freio específico. Evidentemente, trata-se de um tipo de freio que requer mais manutenção.

Bike de Downhill. Créditos: Unsplash

Esse é um freio recomendado para competição, onde há um nível mais avançado de ciclismo e que é necessário alta performance e respostas rápidas e certeiras. Sua bike equipada com um destes modelos de freio com certeza trará benefícios na sua pedalada.

Escolhendo os melhores freios de bicicleta

Agora que você já tem uma ideia de todos os tipos de freio existentes, ficou mais fácil adequar a sua necessidade.

Seja no trânsito urbano, na estrada ou nas trilhas, cada ciclista pode ter preferências únicas. No entanto, o freio é peça essencial. Justamente por isso, o melhor freio depende de qual é o seu uso.

Freios de bicicleta. Créditos: Unsplash

Se você procura leveza e desempenho na estrada, o freio no estilo ferradura é mais indicado. Por outro lado, se o seu uso é mais urbano, sem grandes necessidades de frenagem, o v-brake poderá lhe atender muito bem.

Agora, seja na trilha ou nas road bikes, os freios a disco, seja mecânico ou hidráulico, valerão cada centavo. Como vimos, as modalidades de freios existentes são diversas, cada qual com características únicas de acionamento e funcionamento.

Manutenção nos freios de bicicleta

Independente da atividade de ciclismo que você faça, manter em dia a manutenção dos freios é primordial. É salutar a verificação constante de todas as peças, a lubrificação de cabos ou ajustes de pastilhas e de todo o sistema.

Seja você ciclista, que utiliza a bike para modalidade urbana, seja um competidor, a velocidade desenvolvida pelas bicicletas muitas vezes são elevadas, devendo sempre ter em mente que o freio é uma peça de segurança.

As diversas modalidades de freio exigem cuidados característicos do seu funcionamento.

Quais são os freios ideais para a minha bike?

Com tantos modelos diferentes de freio para bicicleta, é comum surgirem dúvidas sobre qual comprar.

Primeiramente, é importante ressaltar que o freio ideal vai depender do seu tipo de bicicleta bem como a finalidade para qual será usado.

Se for para mobilidade urbana, por exemplo, o freio v-brake e outros modelos de alumínio são mais indicados. Se for praticar ciclismo de estrada, o freio ferradura talvez seja a melhor opção.

Por outro lado, se a intenção é fazer downhill, certamente o freio a disco hidráulico é recomendado em primeiro lugar para esse tipo de bike, tendo em vista a alta velocidade alcançada nas descidas.

Se for praticante de MTB e deseja pedalar em trilhas e estradões, a partir do freio a disco mecânico já é uma excelente pedida para essas bicicletas.

Como você percebeu, os modelos de sistemas de freios evoluíram bastante. Acompanhar algum site especializado sobre ciclismo lhe ajudará a acompanhar a evolução do ciclismo num todo.

Se ainda tiver dúvida, procure alguma loja na sua cidade e veja as bikes e os modelos de freio. Peça para testar o acionamento, entenda mais sobre a durabilidade e descubra na prática a diferença dos freios para bicicleta.